ForumAJSP

Jogos menos jogados na AJSP => Field of Glory (AM) => Tópico iniciado por: JEspecial em 21 Setembro 2012 10:34:22 am

Título: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 21 Setembro 2012 10:34:22 am
(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://thepitwalk.files.wordpress.com/2011/01/borat.jpg&sa=X&ei=C0JcUMPLC8bPhAfMsYDYBA&ved=0CAwQ8wc4Iw&usg=AFQjCNHZBrQAawcRb6o4jtTpbcZMpShxOQ)

And here i go writing about the migthilly powerfull army of Khazakestan in medieval early times. Yes...

But first a bit of beutifull sexy time from khazak woman

(http://i33.tinypic.com/6qcqw2.jpg)
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 21 Setembro 2012 11:02:14 am
Tudo começou no ITC.

Joguei com Hunos no terceiro período, onde só podiam entrar exércitos de archeiros a cavalo, e no jogo com Dan Martz (team USA) passei boa parte do tempo a admirar a pintura do seu exército, onde, para alem de uma chusma de Ligth Horse com arco (quem diria, hein?) pontuavam 4 unidades lindíssimas de lanceiros. Assim que o colocou na mesa percebi que não tinha resposta para ele

 E depois olhei para os meus Hunos veteranos, com tinta lascada, baços e tristes, uma base de cada flocagem… E eles olharam para mim e disseram:

 “- Chefe, isto assim não dá! Podemos ter uma base de shamans a sacrificar um carneiro, um altar e até um totem, mas o pessoal fica logo desmoralizado assim que vê tipos como aqueles todos bonitos. E olha para as bases deles! Parecem mesmo um exército com as bases todas iguaizinhas e lindas!”

Por isso foi no ITC que tomei a decisão de uniformizar as bases todas dos hunos. Ia pinta-las de um tom de areia claro, mesmo por cima da flocagem que tinham; depois um dry brush com um tom mais claro para acentuar especialmente as arestas da base, os bordos das bases seriam pintados a castanho escuro e finalmente ia aplicar alguma flocagem verde para fazer contraste.

Estava eu já lançado na pintura das bases doss 4 primeiros BG quando numa pausa entre duas cores me lembrei de ir ver ao livro de exércitos que raio de lista era aquela que o Dan usou contra mim.

Nessa altura ainda não sabia, mas ao longo do Volga as hordas estavam a juntar-se…


(http://warandgame.files.wordpress.com/2011/11/kazan-tatars21vz4.jpg?w=529)
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 21 Setembro 2012 12:26:31 pm
Quando vi a lista quase que chorei. Era perfeita! Beleza pura! Era tudo o que eu sempre sonhei ter nos Hunos, mas eles não tinham.

Começa por ter uma chusma (havia um exercito no ITC com 5 grupos deles!) de nobres que são lanceiros armadurados e superiores. Para começo não está nada mal, hein?   8)

(http://www1.webng.com/biblesouverainisme/king_james_francaise/images/khazar09.jpg)

Depois um núcleo de tropas tribais clássicas (Cv/LH, Prot, Bow Sword, Average) de exércitos da estepe, podendo ira té às 64 bases

E aqui começam os goodies: Eslavos LF com arco e MF com Lt Spear, average ou poor; ghilam profissionais (Cv Arm, Sup, Bow, sword, drilled) infantaria khazar HF def spear ARMADURADOS (pois!) campo fortificado e para culminar um par de  catapultas pesadas. É á escolha do freguês!

E como se não bastasse isto tudo, ali logo no inicio da lista, nas notas, está a indicação de que os Nobres podem sempre desmontar como HF, Sup, Arm, Ofensive Spear.

É perfeitio!

Os Hunos podem ter muitos lanceiros mas são todos aliados e só protected. Podem tambem ter muita infantaria e boa, mas é toda HF (mais uma vez aliados, o que implica um general só para eles) o que a faz entrar em competição com os montados pelo terreno aberto, quando o ideal era que fosse MF para poder ir onde os montados não vão. MF e LF os khazares têm, não são aliados e podem ser poor para consumir menos pontos.

Finalmente, os khazares podem ter mais peso que os Hunos, sem sacrificar a mobilidade ou o tiro, com os nobres e os ghillam. E como se não bastasse, para evitar que os nobres se lancem em cargas suicidas contra Kn, há ainda a possibilidade de simplesmente os desmontar. Ora uma linha de 12 ou 16 bases de ofensive spear armadurados e superiores é respeitável. Muito respeitável, mesmo…

Lista perfeita, do ponto de vista técnico.

E o sumo? O “Fluff?”

Os Hunos têm uma mística que a mim me assiste muito, quando dos Khazares só sabia o aspeto quase folclórico de se terem convertido ao Judaismo por alturas do seculo IX, e pouco mais.

Por isso fui á procura do que havia por ai… que é como quem diz: Pela net
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 21 Setembro 2012 12:32:18 pm
Hello
Enjoing good History of the migthy khazar army in miniature? Goood. Enjoy more as i swim sexy moments with beautifull and very educated khazar girls

(http://2.bp.blogspot.com/-52zw2oEobWo/T2_1efy-jaI/AAAAAAAAEHw/dPoFyZpcJZw/s1600/11-borat+1.jpg)
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 21 Setembro 2012 12:40:45 pm
O primeiro site onde fui (já que tive a honra de almoçar a seu lado e de lhe apertar a mão - ainda não a lavei! - no ITC) foi ao famoso Madaxeman, onde, entre Batle Reports deliciosos, há o famoso FOG WIKI.  Basicamente tudo o que sempre quis perguntar acercade todos os exercitos de FOG, mas nunca tive coragem. E lá estava a entrada acerca dos Khazares, com um resumo historico e algumas notas de jogo

http://www.madaxeman.com/wiki2/tiki-index.php?page=Western+Turkish+and++Khazar (http://www.madaxeman.com/wiki2/tiki-index.php?page=Western+Turkish+and++Khazar)

Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 21 Setembro 2012 03:24:08 pm
Antes de continuarmos pela parte histórica vamos esclarecer alguns pontos acerca dos povos do cavalo e do arco e da sua visão do mundo, que são importantes para entender melhor a Historia dos Khazares

Para começar eles não eram nómadas no sentido de andarem sempre de um lado para o outro sem dormir duas noites no mesmo sítio, mas sim sedentários alternantes, alternando a cada seis meses entre pastagens de montanha no outono- inverno, e pastagens de planície na primavera verão (isto é um bocado contra intuitivo mas a ideia era passar o inverno nos vales de montanhas protegido dos ventos, e na primavera seguir a agua do degelo á medida que descia para as planicies)

Normalmente cada grupo ocupava localizações muito especificas (determinado vale, a confluência de dois rios) a que voltavam ano apos ano com os rebanhos. Estes locais não eram necessariamente contíguos e até podia haver territórios de outros grupos pelo meio.

Isto faz com que o conceito de território e fronteira (E implicitamente de nacionalidade/povo) tal como nós o temos não exista para estes povos. Para eles um povo não é um conjunto de pessoas que vive num determinado território, limitado por fronteiras, mas sim quem reconhece a autoridade e proteção de um “Clan Real” de uma dinastia, se quisermos.

Quando a Historia moderna foi inventada (na segunda metade do seculo XIX) todos os nomes que apareciam (Citas, Sakas, Siung-Nu, Hunos, Avaros, Bulgar, Khazares Cumanos, Mongois, etc, etc) era tomados como sendo de povos completamente novos, etnicamente diferenciados, que migravam em vagas sucessivas ao longo de milhares de kilometros, em centenas de vagões, com manadas, guerreiros e miúdos ranhosos, em direcção á Europa.

Era uma visão dramática, romântica, mesmo épica, mas completamente impraticável do ponto de vista logístico (para dezenas de milhares de indivíduos) e impossível do ponto de vista genético, já que para isto acontecer seria necessário uma imensa pool genética na Asia Central. Já para não falar na velocidade com que os diversos “povos” se sucediam numa mesma geografia Por exemplo, em 300 anos, de 450AC a 750AC passou-se dos Hunos, aos Avaros e depois aos Bulgaros, naquilo que é hoje a Hungria e a Romenia. Muito rápidos eram aqueles vagões das migrações!)

Dai que progressivamente, na segunda metade do seculo XX, tenha surgido a teoria do Clan Real

Esta teoria postula que migrações generalizadas de povos inteiros foram raríssimas e normalmente até estão documentadas, precisamente pelo facto de serem invulgares, (Sarmatas no seculo II, Hunos no Sec III, Godos no seculo IV, Suevos e Alanos no seculo V) mas o que sucedia mais normalmente era a substituição de um Clan Real por outro (uma sucessão de Dinastias, se quisermos) com a adoção do seu nome pelos outros clans que o seguem. Assim, os Avaros não seriam mais do que os filhos e os netos dos cavaleiros de Atila, sob a governação do clan Avar e já não do clan Hun.

Imaginem que os Portugueses não têm o conceito de territorioo fixo. Que nome é que adoptariamos ao longo dos nossos 800 anos de historia (ao longo doa quais até a nossa língua e costumes se foram alterando) para nos diferenciarmos dos nossos vizinhos e rivais? Se calhar tínhamos de nos chamar pelos nomes dos reis e assim seriamos sucessivamente Afonsinos, Avistinos, Bragancinos e Republicanos. E agora imaginem que não temos escrita para complicar as coisas… Não seria fácil partir do principio que se tratavam de 4 povos diferentes que viveram sucessivamente no mesmo sitio? E no entanto eu tive um bisavô que era Brigancino…

Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: NCordeiro em 23 Setembro 2012 06:11:40 pm
Já conheço os khazares, e são realmente um povo de temíveis guerreiros, de inigualáveis destruidores de impérios, que varrem tudo o que lhes aparece à frente...

Como primeiro adversário da versão portuguesa deste exército, pude ver o porquê de tantos jogadores da pool 3 do ITC o terem escolhido... É forte, versátil, bonito, e vai dar muitos sucessos...

Nuno
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 24 Setembro 2012 08:35:11 am
É verdade! Mesmo quando são esmagados debaixo de uma chuva de flechas disparadas por 60 bases de archeiros ingleses, os Khazares continuam WIIIIIIINNDOS!!!

Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: NCordeiro em 24 Setembro 2012 10:54:31 am
Desde já peço desculpa ao meu nobre adversário por tê-lo submetido a semelhante experiência, mas como fui tão teimoso com o meu nobre colega Miguel Mata para ele levar indianos para a pool 3 do ITC, encarei esta oportunidade como um desafio (como dizia o meu sábio avô, homem que é homem tem de conseguir meter os tomates onde mete a língua), e levei eu mesmo a minha versão de indianos, à base de archeiros e men at arms em vez de elefantes... Digamos que apesar de ter uma frente mais pequena (archeiros mais caros), consegui simular o mesmo efeito...

Mas ainda assim, tiro o chapéu ao meu adversário, que me venceu logo no início na estética das figuras, e desportivamente conseguiu criar dilemas no jogo, e tivesse o dito durado mais duas rondas, talvez tivesse resultados mais vantajosos...

Bem haja...
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 24 Setembro 2012 02:01:46 pm
No seculo IX o Califa, na Bagdad Abassida, (a das historias das 1001 noites) mandou fazer uma sala do trono para os Senhores do Mundo. Nela havia 4 tronos: Um para ele próprio, Califa do islão, líder espiritual e politico dos muçulmanos da India a Coimbra; outro para o Imperador Tang da China: o terceiro para Carlos Magno dos cristãos ocidentais e o quarto para o Khagandos Khazar.

E isto era a alta politica internacional no seculo VIII.

Como os Khazares chegaram a esta posição de sem considerados pelas cortes sofisticadas dos maiores potencias da época como um deles é o que vamos (resumidamente) ver a seguir.

No inicio (lá pelo seculo V-VI) haviam os Turcos Celestes (Gokturk) governados pela dinastia Ashina, lendarios descendentes de um rapaz que foi criado por uma loba (Et tu, turco!) teve 10 filhos da loba (dont Ask!) cada um dando origem a um dos Clan Reais dos turcos.




Estendendo-se do Altai ao Don (ou até ao Danubio, se estiver certa a teoria de que os Avars seriam o ramo mais ocidental do Gokturk) ao longo de 2/3 da Rota da Seda. Esta era um conjunto de caminhos de caravanas que ligava a China á Europa e Persia e cujo controle seria o equivalente a hoje em dia se controlar os canais do Panama é Suez e os estreitos de Ormuz e Malaca. Em resumo: Dava dinheiro. Muito dinheiro, mesmo!

(http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/f1/Gokturkut.png)


Numa daquelas fracções que ocorrem de tempos a tempos a estes povos de grandes distancias e laços políticos soltos, os Khazar que viviam no Caucaso, entre o Mar Negro e o Caspio “proclamam a independencia” por alturas do seculo VI e vão bater nos Bulgar que eram chefiados pelos Dolu (os new kid on the block da estepe) talvez porque os Kaghan Khazar eram Ashina e por isso não gostavam de caras novas. Depois surgem na cena internacional em 627 quando 40.000 deles vão ajudar o Imperador Heraklion numa campanha contra os Persas Sassanidas. Estes, enfraquecidos, vão cair á mãos dos Arabes em 635.

Os Khazar vão estabelecer-se em cima de duas grandes rotas comerciais: O terço final da Rota da Seda no sentido Este-Oeste e a Rota do Volga, no sentido Norte-Sul. Por esta rota corriam peles, âmbar e escravos para sul e dinares de prata para Norte. Onde estas duas rotas se cruzam fazem a sua capital nas margens do Volga: Itil (ou Atil)

(http://3.bp.blogspot.com/_O3F0fH5AGXQ/SNnbPJGTUXI/AAAAAAAADuE/JLVQ8fxSRDM/s400/Khazar+capital_excavation.jpg)

(http://4.bp.blogspot.com/_O3F0fH5AGXQ/SNnb8PGMvRI/AAAAAAAADuM/_G6Yfd_VIFE/s200/Khazar_house_foundation.jpg)


(http://ussr.debello.ca/0000/006.jpg)
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 25 Setembro 2012 11:22:54 am
Descrição de Itil (ou Atil)

"At its height, the city was a major center of trade, and consisted of three parts separated by the Volga. The western part contained the administrative center of the city, with a court house and a large military garrison. The eastern part of the city was built later and acted as the commercial center of the Atil, and had many public baths and shops. Between them was an island on which stood the palaces of the Khazar Khagan and Bek. The island was connected to one of the other parts of the city by a pontoon bridge. According to Arab sources, one half of the city was referred to as Atil, while the other was named Khazaran.

Atil was a multi-ethnic and religiously diverse city, inhabited by Jews, Christians, Muslims, Shamanists, and Pagans, many of them traders from foreign countries. All of the religious groups had their own places of worship in the city, and there were 7 judges appointed to settle disputes (two Christian, two Jewish, and two Muslim judges, with a single judge for all of the Shamanists and other Pagans)."

Não é excatamente o que se espera de uma sociedade nomada, pois não?

Com efeito pelo seculo VIII os khazares começaram a sedentarizar-se (pelo menos a sua classe dominante) por via dos rendimentos do comercio internacional e dos luxos que  ele proporcionava.. Continuava a haver tribos que se dedicavam á postoricia nomada, tal como foi descrita num post anterior, ao lado de comunidades agricolas (eslavos e não só) ao longo dos rios, Mas cada vez mais o poder politico e economico estava nas cidades e nos nobres que a governavam.

Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 25 Setembro 2012 11:30:03 am
HI!

My ancestors very rich and migthy powerfull. Yes... Good horses they have and also very sexy and inteligent babes. Yes!
Like Borat today!

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://autotraderblog.files.wordpress.com/2010/02/bentley_borat.jpg?w=500&sa=X&ei=5ZRhUNndNJSHhQfj4oD4CQ&ved=0CAsQ8wc4Dg&usg=AFQjCNHtAD1Qn2EzcmhkbmmPNqg05sTzvA)
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 25 Setembro 2012 04:05:53 pm
Bem, vamos lá começar a falar do cerne da questão: O exercito!

A primeira entrada são os Nobres e os seus homens de armas mais proximos armados com lança e de armadura completa, eventualmente em cavalo tambem protegido.

Por volta do seculo VI começou a dar-se uma mudança nas tacticas que os nobres dos povos do arco e do cavalo usavam. Com efeito, começa-se a “sentir” uma mudança do arco como arma principal para a lança. Digo “sentir” porque como calculam não sobreviveu (Nem existiram!)  nenhum Manual de Cavalaria Khazar ou Avar e por isso estamos limitados a referências passageiras em cronicas bizantinas ou arabes, a uma gravura esculpida num osso, ás armas achadas em túmulos, tudo coisas que tanto podem refletir efetivas mudanças da forma de combater, como não ser mais do que convenções artísticas. De qualquer modo, já tinha havido uma mudança deste género umas centenas de anos atras com os Sarmatas (lanceiros) a substituírem os Citas (arqueiros), para serem por sua vez substituídos pelos Hunos (arqueiros) por isso é possivel que estas alterações fossem cíclicas.

O certo é que da pouca iconografia coeva que vi, os nobres só aparecem com lança:

(http://www.dejanlucic.net/images/KhazarHorn11.jpg)

(http://www.dejanlucic.net/images/KhazarHorn42.jpg)

Uma coisa que me chamou a atenção nestas duas imagens é que não só os  cavaleiros são todos iguais, como o pendao das lanças é tambem igual para cada conjunto de guerreiros.

Podemos especular muito acerca do significado disto (que pode não passar do facto de o gravador só saber fazer cavaleiros assim...  Se eu desenhar hoplitas vão sair todos iguais...) Mas em termos praticos isto signigica que podemos usar um lote limitado de figuras, usando a pintura individual para lhes dar alguma diversidade, e que os pendoes de cada unidade devem ter padroes iguais.


(http://www.dejanlucic.net/images/Khazar93.JPG)


(http://www.khazaria.com/images/don-warrior-art.jpg)

Em termos de jogo estas tropas são uma grande vantagem face a outros exércitos da estepe (mongois, por exemplo) ameaçando tambem toda a infantaria inimiga, a menos que tenham lanças ou piques, que devem ser “amaciados” pelos arqueiros antes da carga.

Posso ter até 24 bases deles, mas conto usar só 12 a 16 no máximo.
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 26 Setembro 2012 08:56:24 am
Tenho 3 unidades de Nobres no meu exercito, com mais uma na bancada, cujas fotos passo a mostar

(http://2.bp.blogspot.com/-tXgA0kRdLmk/UGKuh9niOBI/AAAAAAAAAaI/q9CtHm79DqM/s1600/IMGP4256.JPG)

Devo confessar que tirando os dourados, bandeiras e um ou outro pormenor, estas figuras não foram pintadas por mim. Foram compradas no Ebay já há um par de anos pelo Miguel Mata e estavam paradas na estante da sala de jogos da AJSP. Gosto muito delas, pelo colorido. Umas figuras simples, sem grandes poses e de escultura honesta, mas bem valorisadas pela pintura.

E sim, aquilo é uma estrela de David!

É que os khazares (pelo menos a classe dirigente...) converteu-se ao Judaismo, como uma forma de manter a independencia cultural e equidistância do Califado e dos Bizantinos, ao mesmo tempo que se aumentava o prestigio internacional ao já não serem mais uma tribo de barbaros shamanistas, como eram as outras. O efeito pratico é que os Khazares eram estremamente tolerantes em termos religiosos, o que é unico numa época de Jihads e de proto-crusadas.

É tremendamente debatido se os Khazares são os antepassados dos judeus da europa oriental  - os Askernazi - os quais são a ascendencia da maioria dos israelitas actuais, (já estão a ver as implicações? ) ou se já eram judeus antes da conversão (por causa da fuga de algumas comunidades judaicas para o Caucaso) ou se não tinham nem tiveram nada a ver com o povo de Abraham e a a conversão foi unicamente limitada ao Khagan e o seu circulo imediato, continuando o resto dos nobres e população em geral a adorar Tengri (o Deus do Ceu dos Turcos) ou Alla, ou Jesus, ou Odin, ou Pengu, (um deus eslavo) ou...

Só se chateavam mesmo era se lhes mexessem no bolso, que é como quem diz, nas rotas comerciais.

Outra unidade de nobres. Ainda quero fazer mais qualquer coisa aos pendões deles...

(http://2.bp.blogspot.com/-o__rHt3GtSY/UGKujyPv7_I/AAAAAAAAAaQ/2keeNmhsn8M/s1600/IMGP4257.JPG)

Os pendões são feitos com um rectangulo de papel branco que é colado á lança e depois recortado "in situ" da forma pretendida. Descobri que assim é mais facil do que de recortar primeiro e tentar acertar as pontas durante a colagem.

E agora uma unidade de nobres Alanos (um dos povos que fazia parte da confederação Khazar)

(http://3.bp.blogspot.com/-coHYVMV4Ka4/UGKul-SR5aI/AAAAAAAAAaY/VFZlOMcBpY8/s1600/IMGP4258.JPG)

Alanos terriveis e caçadores de cabeças!  :)

(http://1.bp.blogspot.com/-9EiBX0JU8j4/UGKunn4Pr6I/AAAAAAAAAag/0eNNv5_LzKQ/s1600/IMGP4261.JPG)

Esta unidade é mais "tribal" e foi feita com figuras de sassanidas, romanos, e partas, da Essex Miniatures,  Donnington e Magister Millitun.
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 26 Setembro 2012 09:03:55 am
Fotos by FILIPE MARTINS!   8)
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 26 Setembro 2012 02:38:48 pm
A primeiras das diversas "Coisas completamente inuteis, mas divertidas" que este exercito tem é...

BANDA SONORA!!!

Tenho andado a pintar os Arshyia (eram os archeiros a cavalo pesados profissionais) e o campo fortificado ao som de "Principe Igor" de  Borodin

Enjoy!

http://www.youtube.com/watch?v=FsTVF0Fu5_c (http://www.youtube.com/watch?v=FsTVF0Fu5_c)

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://www.balletandopera.com/photos_info/perfomance/mar_prince_igor/prince_igor.jpg&sa=X&ei=7RJjUPGvDIyYhQfOl4HgCQ&ved=0CAwQ8wc&usg=AFQjCNFB-W-TNbWS8aAna9rmnkmGnJEvcg)

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://www.artrusse.ca/Images/Mstera/Dit_Igor2.jpg&sa=X&ei=CxNjUOiyAsGHhQejnYDQDg&ved=0CAwQ8wc&usg=AFQjCNHjY2PW3EeCuSfwd5dDW5apjHeiaw)
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 28 Setembro 2012 10:43:38 am
Continuando com “Coisas completamente inúteis, mas divertidas”!
Da altura em que estava a pintar os Hunos, vai para uns 5 anos, tinha lá numa gaveta umas ovelhas, um cavaleiro e um vagão semi-pintados, que eram apara fazer a bagagem deles. Depois optei por fazer umas tendinhas e acabei por não usar essas figuras.

Agora, estava eu na fúria do rebaseamento de todo o exercito Huno, (ver primeiro post deste tópico) e lembrei-me que era giro fazer alguma coisa com essas figuras.
Como boa parte do exercito Khazar continuava a ser nómada e já que ia fazer um campo circular de vagões (fotos a caminho!) achei que era giro por umas manadas a passear pela mesa. Vai dai colei as ovelhitas em duas bases 40 x 40mm e quando ia cortar-lhes os cantos para dar um ar mais irregular, apercebo-me que até dão uns bons marcadores de emboscadas

(http://2.bp.blogspot.com/-szUhbkD4XgA/UGVU7s_DFxI/AAAAAAAAAa4/WyUQXnisxZ8/s1600/IMGP4259.JPG)

Depois, como tinha uma data de cavalos na minha caixa de bits, escolhi alguns que só tivessem tapete de sela e estive a hora seguinte a limá-los para parecerem que estavam em pelo e acho que não ficaram muito mal. Um par de cavaleiros a guiar a manada e estavam feitas mais duas bases de “Coisas completamente inúteis, mas divertidas”

(http://3.bp.blogspot.com/-V1russ4fYcg/UGVU8c8ZSzI/AAAAAAAAAa8/BwkNXgfjN7E/s1600/IMGP4260.JPG)

Finalmente já tinha o habito de meter “coisas” espalhadas pela mesa quando jogava com os Hunos, e como os Khazars tambem era shamanistas (para alem de judeus e muçulmanos…) continuei a usar estes adereços

(http://2.bp.blogspot.com/-w5UkoeDQvWg/UGVU9T5e3jI/AAAAAAAAAbE/5ycFJDp6qxA/s1600/IMGP4268.JPG)

Os shamans foram feitos com figuras de Medos da Xyston, porque têm uns vestidos até ao chão e as peles são em greenstuff. O sacrificador é uma figura de Persa, tambem da Xiston, á qual não alterei nada.

(http://1.bp.blogspot.com/-9se1d_2WLqQ/UGVU-BbsauI/AAAAAAAAAbQ/58o-CIa5OJU/s1600/IMGP4269.JPG)

O totem é um raminho que apanhei no chão, descasquei e fiz umas runas turcas com uma caneta. Simples e efectivo.

(http://4.bp.blogspot.com/-eE9Sbrm2dj4/UGVU_HqMEcI/AAAAAAAAAbU/8h5YNR5gUnU/s1600/IMGP4270.JPG)

Espalhados pelas estepes da Asia encontra-se altares de pedras empilhadas e isto representa um desses altares.

(http://3.bp.blogspot.com/-0rkukIkFQMU/UGVVAID0GYI/AAAAAAAAAbg/GjZBPxwqbiY/s1600/IMGP4271.JPG)
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 01 Outubro 2012 01:38:33 pm
Neste fim de semana não adantei muito ao exercito tirando o facto de ter acabado a ultima unidade a que ainda faltava por as bases iguais ao resto do exercito e iniciei na sexta-feira a pintura da segunda unidade de Arshiya (os archeiros a cavalo pesados profissionais) mas assim só na base de cola-los numa ripa e dar-lhe o primário.

Entretanto, fruto das minhas leituras (ficcionais e não só) chequei á conclusão que era mesmop provavel que os Khazares tivesem um estandarte com um disco metalico com uma estrela inscrita.

(http://www.khazaria.com/images/davestar.jpg)

Agora se esta estrela é a de David  ou se é outra (já que tambem aparecem discos semelhantes ao da imagem com 7 e 8 pontas) dedicada a Tengri, deus do Cú, isso agora já é outra coisa e faz correr muita tinta entre os academicos.

Pela minha parte, peguei no furador e numa cartolina e fiz vários discos que depois colei nos estandartes das unidades e pintei de prata.
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: FMartins em 01 Outubro 2012 07:11:18 pm
Kamarada Johnny Kugan Special,

Como acompanhei o nascimento do teu exército khazar quase desde o berço, deves calcular o gozo que me está a dar ler estas linhas. Para mais quando boa parte das imagens são fotos minhas!

Estás com um exército do caraças!

Para começar, o animal que tens em mãos parece ser bastante eficaz, pelo menos contra exércitos coevos, como o meu andaluz, por exemplo...

Além disso, as figuras que conseguiste providencialmente arranjar ficaram um mimo! A cavalaria pesada é excelente e as bandeiras que ela ostenta ficaram à maneira!

Para além do mais, vê-se, pelo modo como entraste de cabeça no assunto, que não te ficaste apenas pela parte técnica do exército mas que tomaste um grande interesse pela História dos khazares.

Como corolário disto tudo, ainda te dás ao luxo de ouvir Borodin e colocar aqui imagens de uma caixa lacada de Palekh!
Como diriam os nossos camaradas russos, molo dietz, tovarich! ;)
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: FMartins em 01 Outubro 2012 07:20:35 pm
PS - já agora, a música apropriada seria esta:

http://www.youtube.com/watch?v=AyRg1UIUkjI

 :)
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 02 Outubro 2012 01:23:42 pm
Ora bem...

Tenho para aqui falado do processo de rebaseamento das ...bases que fiz em todi o exercito (não esquecer que 80% veio dos Hunos) sem ter posto nada sobre isso.

Mas a proxima foto mostra bem o que fiz.

(http://3.bp.blogspot.com/-jpNO88VhL8o/UGoVuMLLPTI/AAAAAAAAAb0/HulU3XyTEEU/s1600/IMGP4246.JPG)

Em cima está uma unidade de Cavalaria Ligeira com as bases tal como estavam. Uma de cada cor, fruto de diferentes misturas do po (Ya... já deviam perceber que havia po á mistura!) ao longo do tempo em que os pintei.

E em baixo está outra unidade de Cavalaria Ligeira, tal como  fica depois deste tratamento:

 - Pintar a base com caqui (por cima do po velho)
 - Dry brush com tom de areia
 - Lados da base pintados de castanho escuro
 - Aplicar umas manchas de flocagem verde

E o resultado final de conjunto  é este:

(http://1.bp.blogspot.com/-KKhNQ5ukxO4/UGoVvHCh9II/AAAAAAAAAb8/MSZULelxK5U/s1600/IMGP4248.JPG)

Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 02 Outubro 2012 01:29:05 pm
Tovarich Filipus Magnuns (Da Agencia Magnun, a das fotos, percebes?)


É como te disse na sessão fotografica: Eu que estava habituado á escacez de informação acerca dos Hunos fiquei maravilhado com a quantidade de coisas que há acerca dos Khazares. Depois quando me apercebi que havia (muito provavelmente...) uma ligação entre eles e os Hunos e que estiveram no centro do comercio entre Abassidas e Vikings, foi a cereja em cima do bolo!
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: FMartins em 02 Outubro 2012 11:12:26 pm
Claro que estavam "no centro do comercio entre Abássidas e Vikings"!!! Eles converteram-se ao judaísmo, lembras-te?  ;)
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 03 Outubro 2012 10:28:16 am
Olha que ainda és banido do forum por afirmações politicamente incorrectas!

Olha... já agora achas que Rastapopolus é um nome khazar?

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://images4.wikia.nocookie.net/__cb20120505161119/villains/images/d/d4/Rastapopou.jpg&sa=X&ei=KRNsUOq-BYSJhQfh0ICwDw&ved=0CAsQ8wc&usg=AFQjCNG9z7yYxaSnUeDrwNPnwZg92kxLbg)

(para quem não sabe, nos tempos em que o Herge namorava o anti-semitismo, lá pelos anos 30, o Rastapopulos representava o grande capitalismo internacional  judeu, que se opunha ao jovem Tintin, europeu e louro...)

Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: FMartins em 04 Outubro 2012 02:33:52 am
Rastapopoulus é um nome meio grego... e quem é que dominava o grande comércio internacional no Mar Negro e arredores? Os gregos! Bem, e os arménios... e os judeus... :)

Os teus amigos khazares eram simpáticos e sabiam dar umas belas de umas lançadas, mas acho que essa coisa dos negócios ficava mais bem entregue nas mão de outros povos mais.. eeer... civilizados.  ;D
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 04 Outubro 2012 12:44:12 pm
Ora bem cambada, bamos lá á tactica!

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://i.ytimg.com/vi/u9pEToHNvow/0.jpg&sa=X&ei=2IJtUMmPGZDWsgbs24GQAw&ved=0CAwQ8wc4rwE&usg=AFQjCNHwAWag0F9fYlJfbO1SjD8lLKTxzw)

Amanha vamos ter dois jogos pujantes, de manha contra Otomanos (ou ingleses???) e á tarde contra Normandos.

A tactica contra os Otomanos bai ser uma carga potenti com os nossos lanceiros para meter aquela cambada toda a correr ou á lebar cachaporras. Como temos fama de inbentores bamos meter uma marcha de flanco pequenita (um grupo de cavalaria e um de LH)  para eles berem.

Contra os bifes já a tactica pode ser diferente: Desmontamos os lanceiros e bamos dar porrada aos archeiros. E tambem vai a marcha de flanco!

Contra os Normados se calhar mando os lanceiros todos em marcha de flanco para não levaraem porradas dos cavaleiros.

Bamos a ber!

E a beber! Saudi!

Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 11 Outubro 2012 02:32:03 pm
Tenho mais fotos de WIP, mas por falta de tempo não as tenho passado para o pc, por isso hoje vamos fazer contas.

Quanto é que me custou este Tunning dos velhinhos Hunos, em tempo e dinheiro?

Ter o exercito 95% operacional demorou-me qualquer coisa como um mês, de 4 ou 5 de Setembro até ao final do desse mês. Isto incluiu o rebaseamento de todos os hunos e fazer o mesmo a mais 12 bases de Nobres adquiri. Depois pintei mais 4 bases de archeiros a cavalo pesados para completar as duas unidades e neste momento tenho na bancada as bases da Guarda (vikings…)  e de seguida vou acabar o circulo de vagões com que fiz o campo fortificado.

Quanto a euros, os nobres custaram-me 60€, os vikings e mais uma tenda mongol foram 20€ e recentemente enviei uma encomenda para a Khurasan Miniatures a mandar vir figuras para fazer nobres desmontados que me ficaram em 30€.
 
Portanto estamos a falar em 110€ e 4 semanas.

Nada mais para ter um exercito novo!


Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 12 Outubro 2012 03:37:37 pm
 O Campo

No último ano usei um campo fortificado com os Hunos. Começei a usa-lo na fase das duas marchas de flanco e como passava metade do jogo só com metade das unidades em cima da mesa, era relativamente fácil alguém infiltra-se e tomar-me a bagagem. Por isso comecei a fortifica-la que sempre é menos uma coisa com que me preocupar e defender.

São 24 pontos que obrigam grupos montados a tirar 6 para tomar o campo (16% de possibilidades) ou a fazer um CMT para deixarem de tentar, o que significa que é quase certo que ocupe um grupo durante algum tempo, entre o tentar assaltar o campo e o sair dali.

Infantaria toma-o com 5 ou 6 (33% de possibilidades) o que o torna um alvo tentador para este tipo de tropa, mas para um grupo de infantaria chegar ao campo inimigo significa que os seus flancos, cada vez mais longos á medida que avança em direcção ao campo estejam seguros. Já um par de vezes tomei campos com Ligth Foot, mas era com os teutónicos á solta de um lado e de outro, já depois de abrirem um buraco na linha inimiga.

Alem disso em V2 só unidades de infantaria FORMADA (Medium Foot ou Heavy Foot) podem tentar tomar campos fortificados, o que aumenta em muito a sua utilidade. Dai que com os Kazares decidi habituar-me a jogar sempre com um campo fortificado.

Mas como era um campo Kazar e o que é que o tornava fortificado?

Sabemos que os exércitos nómadas (ou semi-nómadas, como os Kazares) se faziam acompanhar de vagões com as famílias e pertences. Sabemos tambem que era normal que estes vagões fossem de alguma forma dispostos numa formação defensiva. E sabemos finalmente que por vezes se combatia nestes vagões quando parados (como fizeram os godos na batalha de Andrianopla, por exemplo)

Por isso o campo deveria ser feitos com vagões desatrelados e com guardas para alem de figuras de mulheres e crianças.

A melhor representação que vi de campos deste género foi na BD “La Saga de Wotila”

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://img.bd-sanctuary.com/bds/big/la-saga-de-wotila-bd-volume-1-simple-23306.jpg&sa=X&ei=fC54UJv2Ls-0hAf36oC4AQ&ved=0CAwQ8wc&usg=AFQjCNFwiC7Sl9AUVJqVGlsjh_drLXUcvA)

(Recomendo! Encontram-na facilmente na Fnac e daqui a uns meses sai o segundo volume)

Aqui está a imagem de está um campo visigodo. 

(http://4.bp.blogspot.com/-bOL9nDc79ug/T3Wb69R8ubI/AAAAAAAAAA4/zYmLJzacydA/s320/fin+du+monde+nomade+.jpg)

Gosto especialmente dos escudos do lado de fora e das cabeças de animais nos topos dos vagões, como se fossem navios.  Com efeito este genero de cabeças não é um esclusivo nordico dos seculos IX e X, como o prova esta cabeça, encontrada na Holanda e datada do seculo V, contemporanea destes mesmo Visigodos e de Atila

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://www.odinsvolk.ca/images/Dragon9.jpg&sa=X&ei=8jd4UO3BO4LM0QWnoYHIBQ&ved=0CAwQ8wc&usg=AFQjCNHuwn_1Y-fjq4R1a-REq3AFlLAdDg)

Para os vagões usei 8 vagões cossacos que há mais de ano e meio tinha lá em casa para um eventual exercito Cossaco do seculo XVII os vagões são em resina ai com 3 cm de comprimento cada um. São destapados, mas nada que clips e green stuff não resolva.

Gostei de ver a ger (tenda redonda) no meio dos vagões, mas como não tinha nenhuma mandei vir uma da Baueda (http://www.baueda.com/ (http://www.baueda.com/)) juntamente com algumas figuras de vikings para serem “Uma especie de Varengues dos Kazares”

O pessoal da Baueda são uns fixes, não bastava fazerem tendas de todos os períodos e feitios, ainda têm várias gamas de boas figuras e um serviço de mail order impecável. Para alem disso mandam sempre amostras grátis. Já recebi caixotes, baús, cestas de fruta, sacas, paliçadas e figuras.

Agora ficava bem aqui era uma foto do meu campo em WIP, não era? 
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 16 Outubro 2012 09:10:16 am
Então aqui vai uma foto do campo, ainda muito no inicio

(http://2.bp.blogspot.com/-MucEASDfnK4/UHyGlC2F9JI/AAAAAAAAAcQ/Ziur6E-oyr4/s1600/IMGP4247.JPG)

E este é o momento ideal para assumir sem hesitações e com frontalidade que este campo não só é fortificado como completa e absolutamente ILEGAL!!!

É verdade! Completamente ILEGAL!

Passo a explicar: Em FOG um campo deve ter 12cm por 8cm e este campo tem 12 x 12. Não teria grande importância (ou melhor, o único prejudicado seria eu) se fosse desprotegido, mas sendo fortificado o caso muda de figura. Mas nada que não se resolva e dos 4 jogos que já fiz com ele não houve qualquer problema, uma vez que sempre que necessário retiro da mesa a placa de tras, para ficar com as dimensões regulamentares

No entanto foi obrigado a fazer um campo maior por razões geometricas e estéticas. Poderia tentar fazer um circulo de vagões de 8cm de diâmetro, mas só cabiam 4 vagões e ficava feio. Por isso a solução foi ampliar o campo para os 12x12, fazer o circulo com 8 vagões, incluir uma ger (aquelas tendas redondas das estepes) e montar tudo em 3 placas de 12 x 4cm que, para alem de facilitarem o transporte, ainda permitem que caso seja necessário remova a placa de trás , ficando o campo com as dimensões legais.

Aquela foto já está desatualizada, porque atualmente o campo está com a ger no meio e todos os vagões já têm toldo feito de green stuff, suportado por uma estrutura muito simples feita com um clip. Tambem acrescentei um “avançado” num dos vagões e gostei tanto da ideia e foi tão fácil que sou bem capaz de fazer mais um.
Outra coisa que descobri foi que estar montado em 3 placas facilita muito a montagem e pintura do campo.

Agora tenho de dar um bocadinho de cor aos vagões, pintar-lhes as coberturas, povoa-lo de defensores e civis, e meter-lhe bandeiras.
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 17 Outubro 2012 02:52:51 pm
Acabei de fazer uma simulação do meu ordenado para o proximo ano e cheguei á conclusao que  os kazares são bem capazes de ser o meu ultimo exercito durante muito tempo.  ::)

Ainda tenho para pintar uns indios para M&Tomahawks, a frota do Imperio Luso-Brasileiro para Dytopian, uns vikings e os Andaluzes para Saga e umas coisinhas de russos e alemaes par acabar para FOW, mas comprar figuras para fazer um novo exercito de raiz, está completamente fora da equação.
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 19 Outubro 2012 10:46:47 am
(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://i3.ytimg.com/vi/zJp7JkE6byQ/mqdefault.jpg&sa=X&ei=lCiBUPyHLdOAhQfT6YCwBw&ved=0CAsQ8wc&usg=AFQjCNHELAZf9irPhdqsN5rsbiwT8H9iaQ)

Bom dia cambada!

Num queria bir aqui antes do pujante torneio do próximo fim de semana falar de tacticas, que estes fóruns andam cheio de olheiros!

Poubo que num comenta mas que bê tudo o que aqui é escrito e toma apuntamentos e isso, carago!

Por isso num bou falar de tacticas futuras (Ora toma!) mas das passadas.

Mas antes deixa-me molhar a goela

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://pixhost.me/avaxhome/57/f4/000ef457_medium.png&sa=X&ei=cS2BUNadA8aYhQet2oGgCw&ved=0CAwQ8wc4BQ&usg=AFQjCNFHYepyJ9MXiREkZZavMlUnqDyRRQ)

Aaaaaaa… Que pomada!

Beim. bamos lá entou ás tacticas passadas

Aqui os Kazares Futebol Clube já fizeram 4 jogos amigáveis (daqueles com cadeiras a boar!) e tiberam 2 derrotas e duas bitorias. Num tá mal para pessoal que num tá ainda muito entrosado e sem estofo, mas cum grande potencial técnico – tactico.

Efectibamente a tactica usada..,

Pera ai!

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://pixhost.me/avaxhome/57/f4/000ef457_medium.png&sa=X&ei=cS2BUNadA8aYhQet2oGgCw&ved=0CAwQ8wc4BQ&usg=AFQjCNFHYepyJ9MXiREkZZavMlUnqDyRRQ)

Aaaaaaaaa….

A tactica usada mudou de um 7- 8 – 1 (Sete escaramuçadores, 8 gajos da porrada e um guarda redes eslavo) para um 6 – 7 – 0, com 6 escaramuçadores, 7 gajos da molhada, incluindo dois de futebol americano, e correu-se com o keeper eslavo que num se ganhava para o vodka para o gajo.

Esta tactica no meio campo é muito potente porque tem 2 brigadas fortíssimas pelas linhas laterais e ainda ficam 3 liberos na meia laranja para cumcretizar. A baliza fica guardada pela claque que é ferocíssima e com berilaites e ninguém se chega a ela.

Perdonnn

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://pixhost.me/avaxhome/57/f4/000ef457_medium.png&sa=X&ei=cS2BUNadA8aYhQet2oGgCw&ved=0CAwQ8wc4BQ&usg=AFQjCNFHYepyJ9MXiREkZZavMlUnqDyRRQ)

Hummmm…. Aaaa! É uma pomada da quinta da minha Albertina.

Onde é que estaba? Nas tacticas!Pois…

Então é assim as tacticas do Kazar Futebol Club para o derby deste fim de semana, cujos prognosticos reservo para o fim de cada partida, analizando a tactica da técnica e a força da tactica. Nunca esquecer que o dado é redondo e as flechas tem dois  lados.

Cum amizade…

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://pixhost.me/avaxhome/57/f4/000ef457_medium.png&sa=X&ei=cS2BUNadA8aYhQet2oGgCw&ved=0CAwQ8wc4BQ&usg=AFQjCNFHYepyJ9MXiREkZZavMlUnqDyRRQ)

Aaaaa... Grande Albertina!
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 22 Outubro 2012 03:01:31 pm
(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://images.usatoday.com/life/_photos/2006/10/27/borat/borat.jpg&sa=X&ei=7UGFUJ_2Gc2GhQfSoIHYBA&ved=0CAsQ8wc&usg=AFQjCNFkUslgnKGQJcz6A6ssI4xGXJ81fw)

 - Greetings fellow readers of the feats of the great and powerful army of very early medieval Kazar warriors of the steepe! Tonight, Borat will bring you very detalied story of migthy performance during last weekend tournment against ferocious and dreadfull enemies of Imperial Rome, fearless Gaul, savage Assirians and low scum worse that a limping blind dog of the Uighurs (those horse robers and sheep rappers!) (Ver nota)

Lista de exercito:
3 TC
3 x 6 LF poor bow
3 x 4 LH ave, bow sword
2 x 4 CV ave, prot, bow sword
2 x 4 CV Sup, arm, bow sword, drilled
2 x 6 Cv Sup arm , lance, sword
1 x 4 Cv Sup arm , lance, sword

Jogo 1 – Orlando Costa c/ Principate Roman
Ganhei iniciativa e escolhi terreno  Agricola

Uma composição invulgar, a deste exército: 4 grupos de Auxiliares (superiores…) 5 de LF em diversos sabores, um aliado Comagene com uma mega falange de 12 bases e catafractas e (lá muito escondidos…) um par de legionários e uma ala de cavalaria.

Ele fez uma linha continua com os auxilias chegados ao meu lado esquerdo, a aproveitar uma peça de terreno irregular que lá havia, com a maior parte dos LF á frente. Depois os legionários, a falange, os catafractas e no extremo direito a ala de cavalaria.

Eu alinhei os grosso dos lanceiros (2 x 6) e uma de archeiros armadurados  (gulam) frente aos auxiliares, fiz uma linha com os outros gulam e os tribais a meio e coloquei a unidade pequena de lanceiros no estremo da linha mais 1 LH.
O meu plano era dar cabo dos auxilias (e se não saíssem do terreno eu sabia como as ir buscar) num lado e rodar tudo á direita para cair em cima da ala romana e depois ir aos catafractas ou á falange de lado.

O Orlando “ajudou-me” ao sair do terreno (ainda estava eu a alinhar tropas para o ataque…) e fui desfazendo as auxilias uma a uma, acabando as ultimas numa bolsa com cavalaria Kazar a toda a volta.

Tive de fazer um par de cargas contra as legiões, mas estas aguentaram firmes, inflingindo-me bases, mas nada de preocupante.

No outro flanco parto a ala de cavalaria romana e persigo-a, carregando uma unidade de LF que tem de atravessar diagonalmente a falange (que já estava fragmentada á conta do tiro…) isto na altura em que os gulam carregavam a falange de frente. Não é preciso dizer mais nada…
30 – 0

Jogo 2 - Jose Lopes c/ Gauleses
Ganhei iniciativa e escolhi terreno Agricola

O Lopes colocou a sua cavalaria em linha única a ocupar metade da mesa.Se estivesse em linha dupla sofriam muito com o meu tiro, por ser protected e alem disso assim podiam evadir aos meus lanceiros. A outra metade da mesa eram 4 grupos de guerreiros em linha (os solduri a fazerem a ligação com a cavalaria)  e no extremo, para aproveitar uma peça de terreno Rough, um aliado Ibero c/3 grupo de MF.

Achei que estes 3 grupos eram um bom alvo e  (ya… há aqui um padrâo. Se eu vejo MF a jeito vou lá directo!) coloquei duas unidades de lanceiros para os derrotar e tropas ligeiras para os provocar para fora do terreno se necessário fosse.

Frente aos guerreiros ponho uma de gulams e uma cavalaria tribal para os prender frontalmente e compactei toda a outra cavalaria á volta de uma unidade grande de lanceiros frente á cavalaria dele.

Piece of cake, pensei eu em Kazar! E seria, não fora a poção magica…

As cavalarias chocam (Pois! Ele não evadiu face a forças superiores. Estes gauleses loucos!) e no final da jogada tenho um buraco na minha linha entre os lanceiros e os Gulam, porque os tribais que estavam no meio quebraram. E a ele não acontece nada, tirando uma base perdida numa unidade…

Depois de uma data de combates em que a massa da unidade grande de lanceiros consegue derrotar os seus adversários, os gulam estavam reduzidos a 3 bases e estavam desorganizados. Felizmente o Lopes manteve as cavalarias dele estendidas a uma linha para não deixar que os meus LH se infiltrassem, mas isso teve como consequência que todo o seu potencial de combate não era usado contra os gulam e como estes tinham a vantagem da armadura lá se foram aguentando.

Finalmente os lanceiros dão a volta e aparecem por detrás destas duas unidades e acabam com elas. No entretanto os ligeiros (LH e LF) já tinham dado conta de outra cavalaria gaulesa a tiro.

Do outro lado da mesa os iberos continuavam lá ao fundo do terreno e tinham a proteção de uma unidade de LF. Ia ter de os puxar cá para fora se queria ganhar o jogo.

Comecei por disparar contra os LF até que eles baixaram de coesão e o Lopes os retirou da frente, como esperado. (a alternativa era deixa-los lá e arriscar a sua perda) Mas os iberos ainda estavam longe e por isso meti uma unidade de FL nesse terreno e comecei a disparar para eles á espera que baixassem de coesão ou que o Lopes se chateasse e carregasse para me enxutar da frente.

Foi o que fez. Ainda não saiu do terreno, mas ja estava á beirinha. Depois moveu outro grupo para o lado de primeiro para o apoiar. Passei a jogada seguinte a prepara as coisas para uma jogada de sacrifício e os meus LF quebraram como era esperado, fugiram através dos lanceiros e os Iberos vieram atras, saindo do terreno e dando-me os pontos que faltavam para os gauleses quebrarem.
26 – 8 (acho…)

Jogo 3 – Marco Quinta c/ Assirios
Ganhei iniciativa e escolhi terreno Estepe

O plano era simples: Saltar para cima dos carros e da cavalaria com os lanceiros, evitar os hoplitas, encher tudo de flechas. Os carros não tem POA no impacto contra lanceiros e eu tenho. Depois na melee já estaria em vantagem e era não ter azar aos dados para lhe partir os carros.

Obviamente falhou tudo!

Numa ala os carros e a cavalaria dele levam tudo á frente (Em parte por culpa minha que não os coloco bem…) mas custando-lhe uma unidade de Guardas que teve de ser massacrada até á ultima base;  a centro uma muralha de aço assiria-grega empurra tudo o que mexe e ainda por cima com tiro. E mesmo no meio, os LF dele quase que quebram dois meus.

E para ai, na ultima hora de jogo, as coisas começam a virar: Num flanco uma unidade de carros quebra, depois de uma resistência heroica, arrastando com ela uns hoplitas que os iam salvar (Não fizeram nada num ataque de flanco aos lanceiros a alanos. A teoria pos-jogo é que se devem ter impressionado muito com as cabeças penduradas á sela que os alanos tinham); a meio uns LF meus viram-se contra os perseguidores e dão cabo deles, mas já não há mais nada a fazer e quebro.

16 – 22

Jogo 4 – Joao Costa c/ os câes marrecos e cegos dos dois olhos dos Uigurs, (esses ladrões de cavalos e violadores de ovelhas)* (ver nota)
Perdi iniciativa e o João escolheu terreno Agricola

Olhem foi uma miséria!

Já nem digo mais nada para alem de que os meus deviam ter-se esquecido das flechas em casa e as dele tinham homing device e ponta explosiva. Cada tiro cada melro, literalmente!

Destrui 2 grupinhos de cavalaria tribal dele que estavam completamente isolados e já brinquei. Até o campo fortificado ele me toma logo na primeira tentativa. (Deviam estar todos bêbados e a dormir lá dentro!)

No final acabei em 2º lugar da Pool Classica. Como o Nuno Cordeiro tambem foi segundo da Pool Medieval, acabamos por ser a melhor equipa do Torneio.

Heeeeeeee!!!! SEMOS OS MAIORES!!!!

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://holydogwater.files.wordpress.com/2007/10/borat-greatsuccess.jpg?w=219&h=381&sa=X&ei=dkKFUIuZJ9CWhQf914D4BA&ved=0CAwQ8wc4VA&usg=AFQjCNEpvepumz640GSLHirhprvOKSKUqg)

E depois destas aventuras todas acho que mereço um descanso e vou para a praia…

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://www.jaunted.com/files/3/borat_swimsuit_cannes.jpg&sa=X&ei=8EOFULO1PMKShgfOmoAw&ved=0CA4Q8wc&usg=AFQjCNFJ-TDDM8m2kj-pXDIc8N9pdtfmVw)

*Nota: Nada disto se refere ao João Costa que é um nobre e leal adversário e bom amigo. Trata-se antes do tratamento amigável entre povos da estepe. Por exemplo para ele, os meus Kazares não passam de uns “Judeus gordos filhos de uma ovelha coxa e vesga”
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 24 Outubro 2012 04:05:18 pm
(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://i3.ytimg.com/vi/zJp7JkE6byQ/mqdefault.jpg&sa=X&ei=DxCIUMueBsiShgf1ioC4Ag&ved=0CAsQ8wc4Aw&usg=AFQjCNGO82k0aX_jaHrB5Z646IKvmh9aUQ)

E - Ora bem cambada, estamos a aqui com o meu colega Borat para a analise técnico-tactica da jornada do fim de semana passado!

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://www.jaunted.com/files/admin/borat27.jpg&sa=X&ei=OxCIUM30N86LhQfIi4HwBg&ved=0CAwQ8wc&usg=AFQjCNEH_22cLKCcwCO85VIzRGKbsoWqwA)

B - Saudações alegras, nobres leitores

 E - Borat, Bamos começar pelos Ligeiros a pé e a cavalo. Havia 3 grupo de cada. Como se portaram?

 B - Os a cavalo fizeram o que se esperava deles em termos de atazanamento geral e infiltração compulsiva. Já os a pé tiveram umas prestações mais irregulares, sempre que estiveram sozinhos.. No entanto o seu contributo foi importante, com tiro que por vezes foram decisivos, especialmente tendo em conta que 18 bases em 3 grupos custaram apenas 54 pontos. Há que planear melhor o seu entrozamento com as outras unidades e considerar a hipótese de incluir um grupo a 8 bases, ou de os proteger com infantaria mais pesada.

E – Muito bem. Uma pinga? Não? Mais fica! Haaaaaaa… e ataão as cavalarias médias?

B – O papel destas duas unidades, não sendo decisivo, provou ser higiénico. Com efeito limparam o sebo a alguns inimigos, mas normalmente depois eram logo descartados por não terem a resiliência de outras tropas. Eram simultaneamente a primeira linha de apoio dos ligeiros e a sua reserva de força, mas só duas não conseguiam acudir a todas as necessidades.

E – Pois… tou a ber… Uma merda! Atão e agora entramos nos latinhas: que tal foram os Gulam?

B – Para continuar na mesma linha, custaram o olho… da cara, mas são de facto tropas a todos os níveis excepcionais. Lembro com especial agrado uma que carregou sozinha um grupo de hoplitas inimigos e lhes comeu… uma base por jogada até serem salvos por um general. O binómio Tiro-Armadura–Superiores é muito forte…

E – Mas assim são 3…

B – Quem?

E – O binómio…

B – Não. Um binómio são dois.

E – Mas bocê disse 3…

B – três quê?

E – Três nómios.

B – Pronto!

E – Mas em relação aos lanceiros habia uma polemica no pré-jogo…

B – Com efeito! O meu colega de equipa, o Nuno Cordeiro insistiu comigo para não usar grupos a 6 bases, quase tantas vezes quantas as que eu insisti com ele para ter mais Man at Arms, no exercito dele. Mas posso dizer com confiança que não teria tido os resultados que tive não estivessem eles com 6 bases. Ficam muito poderosos em melee, muito mais resilientes, e não há qualquer perda da capacidade de manobra. Foram os grandes obreiros dos dois dias.

E – E planos para o futuro?

B – Para o futuro temos várias coisas a explorar desde a inclusão de infantaria armadurada e artilharia pesada, até uma combinação só de cavalaria ligeira e lanceiros. O plantel é variado e permite muitas combinações de grupos

E – É o chamado threesome! E bem, senhores leitores, despedimo-nos cum amizade até ao próximo post… Tem a certeza que num quer uma pinguinha?... Mais fica!

(http://www.google.pt/url?source=imglanding&ct=img&q=http://katiedozier.com/wp-content/uploads/2010/05/respect.gif&sa=X&ei=YxCIUMmrKoKIhQfNwIHQAw&ved=0CAsQ8wc&usg=AFQjCNFjBMGyTaS9qD-_mNZ1H9sCxWP2Jw)
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 26 Outubro 2012 02:22:00 pm
E aqui está a foto do inicio do primeiro jogo. Mesmo no inicio, com o Orlando ainda a colocar as ultimas figuras.

(https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash3/560578_10151081060812343_1491335235_n.jpg)
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 26 Outubro 2012 03:14:17 pm
Os trofeus em disputa

(http://www.ajsportugal.org/DSCF4933A.JPG)

E 48 horas depois, o resultado: A equipa dos MAIORES E MAI LINDOS JOGADORES DE FOG DESTE PAIS!

Melhor equipa e os dois em 2º lugar na sua pool. Isto é que é trabalho em equipa!

(http://www.ajsportugal.org/DSCF4966A.JPG)

Eu e o Nuno Cordeiro

E aqui a ala Adasmastora dos Suricatas a tentar perceber se os gauleses do Lopes beberam poção magica ou não.
(http://www.ajsportugal.org/DSCF4921A.JPG)

Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 02 Novembro 2012 04:36:44 pm
Uma das coisas que gosto dos kazares é o facto de terem infantria útil e barata.

Para um exercito de archeiros a cavalo este útil tem tres vertentes:  Pára-choques, ocupação de terreno e apoio de tiro.

Começemos pela ultima.

Posso ter até 3 grupos de LF  (Eslavos e Khazares) com arco que complementam bem o tiro e as funções dos LH por uma fração do seu preço. Efetivamente podem ser Poor e custar 50 pontos pelos 3 grupos, o que compara muito bem com os 40 que custa 1 de LH. Sendo LF podem operar onde os LH não podem, movem e evadem quase o mesmo e não atrapalham ninguém por quem tenham de passar.

A ocupação de terreno é importante como uma forma de garantir que o inimigo não usa esse terreno como uma via de ataque, e aqui um grupo grande infantaria Eslava (8 bases normalmente) MF é muito util quanto mais não seja para ocupar a infantaria media inimiga durante algumas jogadas

(http://1.bp.blogspot.com/-4ZTQP8_ayEo/UHyGmtgtzAI/AAAAAAAAAcY/mqRlMnEgv7s/s1600/IMGP4249.JPG)

Custumo usa-los tambem como Poor, (mas podem ser Average…) já que assim me permite libertar pontos para o que é importante no exercito.

Finalmente a função de Pára-choques é desempenhada pela Guarda Khazar (HF Armoured) que vejo numa ala a servir de ponto de resistencia contra tropas montadas de choque inimigas.

Nas minhas leituras não consegui perceber o que era na realidade esta Guarda, mas considerando a propensão para os países copiarem as modas militares uns dos outros, e como as rotas do Varegues passavam pelo Dniepre e pelo Volga, resolvi que era bonito o meu Kahgan ter a sua própria Guarda Varengue á semelhança dos primos bizantinos

Infelizmente não tenho ainda fotos deles…
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 07 Novembro 2012 04:30:33 pm
E agora os generais desta pandilha toda!

Como comnadante em chefe uso o Jeremiah Khazandame (São judeus, não se esqueçam!)

(http://3.bp.blogspot.com/-hsOJmY1IV-8/UHyGqpGKC4I/AAAAAAAAAcw/ZdmhdeLTZ1Y/s1600/IMGP4254.JPG)

Este foi inventado há umas dezenas de anos por um amigo para o Presidente de uma qualquer Republica Centro Aficana, onde decorria uma campanha imaginária com varias milicias etnicas (a dos lojistas indianos, por exemplo) e politicas a lutarem pelo poder.

Estas figuras são as do meu Atila dos Hunos com algumas modificações. Quando descobri que o clan real dos Kazares (os Arshina) era descendente de um heroi que foi criado por uma loba (ya... tambem estes, sim!)  e cujo animal totem era o lobo, nem mexi mais na figura principal, com a sua pelo de lobo ás costas. As unicas alterações que fiz foi ao nivel do estandarte, que passou do vermelho para o turquesa (Os Khazares eram sucessores dos Gok Turk  - Turcos Celestes - e para eles o azul tinha um caracter sagrado) e a outra figura que passou de um general romano tardio para um cavaleiro turco.  Actualmente tenho o  candelabro judaico pintado no estandarte.

Este é o Benjamim
(http://3.bp.blogspot.com/-snleqVjOd4o/UHyGoW9pRTI/AAAAAAAAAcg/bqk0sU1jHyU/s1600/IMGP4250.JPG)

Como foi o ultimo a ser pintado, e por isso o mais novo, ficou Benjamim

E como não podia deixar de ser, aqui está o BORAT!

(http://4.bp.blogspot.com/-qJdBIuSZBN0/UHyGpbtIIDI/AAAAAAAAAco/pTBsP6E7mhQ/s1600/IMGP4252.JPG)
Título: Re: Hi! I'm Borat from khazakistan...
Enviado por: JEspecial em 18 Fevereiro 2013 11:21:58 am
Já aqui tinha dito que um dos meus motivos de orgulho deste exercito é o seu campo fortificado (ainda por cima de tamanho ILEGAL!!! :) )  Na altura em que escrevi sobre ele ainda era um simples Wok In Progress.

(http://2.bp.blogspot.com/-MucEASDfnK4/UHyGlC2F9JI/AAAAAAAAAcQ/Ziur6E-oyr4/s1600/IMGP4247.JPG)

Finalmente, quase passados 6 meses, já está completamente pintado! (bem... a dizer a verdade ainda queria por-lhe umas bandeirinhas)

Ora cá está ele, numa foto tirada no ultimo jogo que fiz. Com guardas, miudos a correr, prisioneiros de canga, senhoras a amamentar bebés, supermercado e tudo!

(http://i741.photobucket.com/albums/xx53/jorneto/Varios/2013-02%20Khazar%20vs%20Roma/IMG_0509_zps897bb0d3.jpg)