ForumAJSP

Por favor Entre ou registe-se.

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão
Pesquisa avançada  

Notícias:

SMF - Just Installed!

Autor Tópico: Estrada para Brega, Março 2011, Líbia  (Lida 1026 vezes)

Faustnik

  • Associados e Convidados
  • Full Member
  • ******
  • Offline Offline
  • Mensagens: 110
Estrada para Brega, Março 2011, Líbia
« em: 01 Janeiro 2012 10:27:59 am »

Kamaradas,

Aproveitando o hiato antes da Academia Militar, e algumas noticias televisivas, o nosso kamarada de tabuleiro Pargna engendrou o seguinte cenário:

Forças Governamentais: Esta cidade caiu nas mãos dos rebeldes no dia anterior e a missão do grupo de operações especiais é destruir um depósito de armas.…

Rebeldes: Esta cidade caiu nas mãos dos rebeldes no dia anterior e os grupos de rebeldes controlam os arredores para evitar qualquer tentativa de aproximação das forças governamentais.

Por isso um cenário básico AmbushAlley (jogado no entanto com as  regras Force on Force [AmbushAlley/Osprey]), com iniciativa das Forças Governamentais, reforços contínuos para os rebeldes (Hotspots nos bordos), 10 turnos de jogo…. Enfim o habitual…

Aproveitando material já disponível, lá montámos a mesa – 2,4x1,5m



Rebeldes nos subúrbios de Brega – figuras vis´siveis nos topos dos edifícios (os outros são civis/Dummies)

Governamentais em peso – Pargana disse que seria um pequeno grupo, mas na realidade eram mais AFVs que infantaria.



O jogo foi simples, os Governamentais (Artur e Miguel Mata) ao principio estavam com medo – não sei bem de quê, já que a superioridade era mais que aparente) avnçaram directamente para o edifício/complexo.


Os rebeldes (Eu) tentaram fazer tudo para atingi-los – em especial os carros – com RPGs

Mas na realidade com D6 contra D8 eu não tinha grande possibilidades, a não ser que a sorte me sorrisse – o que nunca acontece.

O Mestre de Jogo, lá tentava equilibrar as minhas hipóteses, atribuindo-me um Technical – esteve um turno em cima da mesa, antes de fugir – um T-55 – tentei apanhar um T-72, conseguindo-lhe causar alguns danos, mas a resposta obrigou-me a bail-Out e “ala que se faz tarde”….

Resolutamente os Governamentais avançavam apoiados…






E eu tentava resistir – vejamos sem grandes hipóteses


Quando os Governamentais descobriram que eu não tinha grande coisa, avançaram para o prémio – leia-se paiol



Eu lá consegui KO um BTR-60 que se aventurou sozinho em minha direcção, mas no fim, vitória – esperada – governamental.

Foi divertido e deu para estarmos um par de horas a jogar e rir…

A+

Faustnik
Registado
 

Página criada em 0.309 segundos com 33 procedimentos.