ForumAJSP

Por favor Entre ou registe-se.

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão
Pesquisa avançada  

Notícias:

SMF - Just Installed!

Autor Tópico: Bernardette, je t'aime!  (Lida 2432 vezes)

JEspecial

  • Associados e Convidados
  • Snr. Member
  • ******
  • Offline Offline
  • Mensagens: 400
Bernardette, je t'aime!
« em: 02 Janeiro 2012 04:53:23 pm »

"The making of" de um exercito para FOG:R

1ª Parte – a Historia

Bernard de Saxe-Weimar era um dos generais alemães de Gustavo Adolfo, rei da Suecia.

Na sequencia da derrota sueca em Nordlingen ás mãos dos primos Ferdinado de Austria e do Cardeal-Infante Fernando de Espanha, (6 de Setembro de 1634) Bernard recua para a Renania com a maior parte dos regimentos alemães do exercito Sueco.  Dado que os Suecos são empurrados para as suas possessões na Prussia e no Mecklenburgo, os exércitos conjuntos dos Habsburgos recuperam todas as cidades anteriormente tomadas pelos suecos.

Este volte-face na Guerra dos Trinta Anos acelera a entrada directa da França na guerra, que até então participava indirectamente através de enormes subsídios a Gustavo Adolfo ou só muito pontualmente ao longo do Reno ou na Saboia. No entanto a França não tinha nenhum exército com experiencia de combate, capaz de parar os veteranos do Cardeal-Infante. É para colmatar esta deficiência em experiencia de combate, que o cardeal Richelieu contrata Bernard de Saxe-Weimar (que depois sub-contrata os regimentos que o seguiram, como era norma na época)



Este exercito, maioritáriamente alemão (e irlandês e escocês…) reforçado progressivamente por tropas francesas para colmatar baixas, vai operar na margem alemã do Reno durante os anos de 1635 a 1639 contra as tropas da Liga Catolica e do Ducado da Baviera, em cooperação com um exercito francês que operava na margem francesa do Reno. É durante este período que os franceses lhe começam a chamar Bernardettes, derivado do nome do seu marechal.

Em 1639 Bernard morre de peste, o que normalmente implicava o fim do contrato com a França e a dispersão do exercito. No entanto neste caso os regimentos votaram a continuação do exercito e mandaram uma delegação de coronéis a Paris para negociar um novo contrato com Richelieu.

Foi assinado novo contrato e, para cumprir um pedido expresso dos coronéis que pediam a nomeação de um novo Marechal, Richelieu nomeia  Henry de la Tour Turenne. (Um dos grandes generais da historia e dos únicos que Napoleão estudou com afinco ao longo de toda a sua vida)

Este exercito combateu com afinco durante os anos de 1640 a 1643, colocando fora de combate a Baviera (duas vezes!)  e terminando a sua carreira ligando-se com o exercito do Duque de Engien (mais tarde conhecido como Condé) para a campanha de Rocroi, que marca o fim do predomínio das armas espanholas.

Portanto temos um exercito que por duas vezes se recusou a desaparecer, que nasce de um desastre e 9 anos depois tem a sua desforra, comandado por um dos grandes capitães da historia.

Tinha de ser  feito!
Registado

JEspecial

  • Associados e Convidados
  • Snr. Member
  • ******
  • Offline Offline
  • Mensagens: 400
Re: Bernardette, je t'aime!
« Responder #1 em: 03 Janeiro 2012 09:03:31 am »

As fotografias que aqui vão aparecer foram tiradas por D.Rui Carrilho, no Torneio Lasquenete, que decorreu em Novembro passado.
Registado

JEspecial

  • Associados e Convidados
  • Snr. Member
  • ******
  • Offline Offline
  • Mensagens: 400
Re: Bernardette, je t'aime!
« Responder #2 em: 03 Janeiro 2012 04:22:38 pm »

2 – A Lista

Para 800 pontos rapidamente encontrei um ponto de equilíbrio na constituição do exercito e quase que não tenho feito alterações a essa lista base:

Field Commander
2 Troop Commander
2 BG de 4 bases  de Couraceiros (Det Horse, Sup, Armour, pistol, pistol)
2 BG de 4 bases de Cavalaria (Det Horse, Ave, Unarmour, pistol, pistol)
2 BG de 4 bases de Dragões (Ave, Musket)
2 BG de 6 bases de mosqueteiros (Medium Foot, Musket, Sup + Reg.Gun)
3 BG de Pike & Shot Franceses (Impact foot, Ave, unarmour + Reg.Gun)
1 BG de Pike & Shot Alemão (Ave, unarmour)
1 BG de 2 Medium Gun

Como é que isto tudo funciona?

Normalmente formo uma ala de ataque com os dois regimentos de Couraceiros e um de Cavalaria em apoio na segunda linha, sob um dos TC. Se houver terreno irregular encostado á lateral da mesa posso lá colocar um dos regimentos de Dragões para algum apoio de fogo á ala de ataque.

No outro flanco (eventualmente aquele mais fechado em termos de terreno) defendo com o segundo regimento de Dragões, o restante regimento de Cavalaria e o regimento de Pike & Shot Alemão.

A centro faço uma linha de apoio com os 3 regimentos Pike & Shot Franceses com 12cm de intervalo lateral entre cada um. À frente desta linha, e em ultima colocação juntamente com a artilharia, formo a minha ponta de lança: os dois regimentos de mosqueteiros superiores. O Field Commander assegura com o seu raio de comando que todo o centro pode fazer movimentos duplos.

Normalmente coloco a artilharia na charneira entre as alas de cavalaria e o centro de infantaria, apontada á cavalaria inimiga para maximizar o seu efeito. Se a coloco no centro muito rapidamente perde ângulo de tiro com o avanço da infantaria á sua volta.



A ideia base de manobra é uma carga rápida para contacto com a ala de ataque, apoiada pelo avanço rápido do centro de infantaria até a linha da frente ficar a alcance máximo de mosquete (6MU)  A partir daqui deixamos o inimigo vir até nós, disparando, se possivel concentrando o tiro dos dois regimentos de mosqueteiros sobre uma única unidade inimiga.


Como a 6MU cada um dos dois regimentos gera 4 dados de tiro (7 a 3MU) com re-rol dos 1s, as probabilidades de causar baixas e perdas de coesão são boas. Tudo isto é apenas uma preparação para a segunda fase

A segunda fase começa quando o inimigo carrega os meus regimentos de mosqueteiros. Dado que não têm piquem em apoio, é natural que tanto o impacto, como a melee lhes corra mal (mas não muito que sempre são Superiores…). Por isso espero que perca um nível de coesão para na JAP seguinte faça break-off voluntário com eles, abrindo caminho para a carga dos regimentos Franceses, que sendo Impact Foot, são temíveis no impacto, principalmente se o inimigo já tiver tido baixas/ perdas de coesão com o tiro e combate anterior.

Isto costuma ser o suficiente para abrir uma brecha na linha de infantaria inimiga, da qual normalmente não se consegue recuperar. Se a isto juntarmos a cavalaria vitoriosa da ala de ataque, normalmente o inimigo fica muito perto de quebrar, as vezes bastando tomar-lhe a bagagem.
Registado

FMartins

  • Associados e Convidados
  • Full Member
  • ******
  • Offline Offline
  • Mensagens: 190
Re: Bernardette, je t'aime!
« Responder #3 em: 04 Janeiro 2012 12:52:25 am »

Belíssimo!

E inteiramente grátis, uma aula de História e outra de táctica seiscentista.  :D

Merci beuacoup. M. Jean Spécial
Registado

JEspecial

  • Associados e Convidados
  • Snr. Member
  • ******
  • Offline Offline
  • Mensagens: 400
Re: Bernardette, je t'aime!
« Responder #4 em: 23 Janeiro 2012 02:05:13 pm »

3 – O Futuro

Depois da batalha de Nordlingen (1634) e até á entrada em força da França na Guerra dos Trinta Anos (1641) assiste-se a um período de poucas batalhas campais, já que o lado protestante não tem exercito para defrontar em campo aberto as forças combinadas do Cardeal-infante, tendo os suecos sido empurrados de volta para a Prussia, Pomerania e Meckelburgo, separados de Bernard que recua para a Renania.

Por isso a guerra assume um carácter cada vez mais móvel, á base de colunas de infantaria montada e cavalaria, em raids e contra raids, com pouca ocupação efectiva do terreno.

É por isso que a lista dos “Bernardettes” tem algo de completamente inédito nos exércitos ocidentais: Não tem infantaria obrigatória…

Isto, aliado ao facto de em todos os jogos que fiz a minha ala de ataque de cavalaria ter levado tudo de vencida pos-me a pensar num tipo de exército um pouco mais radical, mas sem comprometer a realidade histórica.

 - Fazer não uma, mas duas alas de ataque com 3 regimentos de cavalaria (2 armadurados e superiores e 1 average e sem armadura) comandadas pelos respectivos generais.

 - A centro manter os dois regimentos superiores de tiro, reforçados por um de carabineiros montados e talvez alguma artilharia (ligeira?)

 - Os dois regimentos de Dragôes ou reforçam o centro ou, havendo terreno, apoiam a cavalaria.

A ideia é manter o centro ancorado em terreno que prejudique HF e arrancar logo e em simultaneo pelos dois flancos para bater as tropas montadas inimigas, tomar-lhe a bagagem e virar sobre o centro de infantaria.

Se isto é possível ou não, só em cima da mesa o veremos…




Registado

FMartins

  • Associados e Convidados
  • Full Member
  • ******
  • Offline Offline
  • Mensagens: 190
Re: Bernardette, je t'aime!
« Responder #5 em: 20 Maio 2012 01:32:19 am »

Claro que compreendes, João, que o único exército que as Bernardettes poderão alguma vez vir a temer é o Exército Português, seja ele colonial ou não... E a sorté da tua cavalaria é que, no séc. XVII, a malta já não tem besteiros!!!  :D
Registado

PMorais

  • Associados e Convidados
  • Jnr. Member
  • ******
  • Offline Offline
  • Mensagens: 51
Re: Bernardette, je t'aime!
« Responder #6 em: 21 Maio 2012 08:45:45 am »

Mas isso arranja-se. Os meus Dinamarqueses tem carradas de bestas seja a pé ou montadas.  ;D
Registado

JEspecial

  • Associados e Convidados
  • Snr. Member
  • ******
  • Offline Offline
  • Mensagens: 400
Re: Bernardette, je t'aime!
« Responder #7 em: 21 Maio 2012 09:17:49 am »

E não é que a profecia Filipina se cumpriu??? mas vai haver desforra! :)
Registado

JEspecial

  • Associados e Convidados
  • Snr. Member
  • ******
  • Offline Offline
  • Mensagens: 400
Re: Bernardette, je t'aime!
« Responder #8 em: 10 Maio 2013 10:02:49 am »

Neste momento tenho 6 regimentos de cavalaria, sendo a unidade mais recente uma que é das mais carismaticas do periodo: Os Mosqueteiros do rei! :)


Registado

FMartins

  • Associados e Convidados
  • Full Member
  • ******
  • Offline Offline
  • Mensagens: 190
Re: Bernardette, je t'aime!
« Responder #9 em: 12 Maio 2013 07:46:15 pm »

Ora bem, vi claramente o Porthos e o Athos, falta-me o Aramis, que deve estar oculto pelos folhos e lenços de renda, e o famoso D'Artagnan, que deveria ser identificável pelo seu cavalo Rofty. Ah, não, espera, esse era o Dartacão!!!  ;D
Registado
 

Página criada em 1.977 segundos com 50 procedimentos.